top of page
  • Foto do escritorLelo Brito

A Trupe do Vagão semeou paz e alegria no mês da crianças


#descriçãodaimagem: foto colorida em que aparecem 12 pessoas, em pé, sentadas ou agachadas, sorrindo e olhando para câmera do celular. São pessoas negras, brancas, jovens, crianças e com deficiência física. Estão na Livraria Estação Mercado do Livro, com o fundo de uma paisagem de fotografia  em tamanho natural de mata, com estantes de livros de ambos lados.  


A jornalista Leandra M. Certeza assistiu à estreia da Trupe do Vagão 98, em outubro, e entrevistou o diretor Elissandro Aquino. Confira! Por Leandra Caleidoscópica* Tudo começou dia 7 de outubro, às 16h, na Livraria Estação Mercado do Livro (@livraria_estacao_mercado) em Lambari – MG. Eu e meu amado, Marcos dos Santos, vivenciamos um momento único! Ouvir histórias nos conecta com quem somos no mais profundo universo misterioso da alma humana.

Podemos nos transportar para mundos em que somente a imaginação consegue chegar! E se conseguirmos levar conosco ao menos uma centelha de luz do que cada palavra nos provocou dentro de nós, já saímos ganhando não apenas mais uma tarde de sol, mas a semana toda de novas possibilidades de transformar a dureza da vida em poesia.

Quando cada atriz e ator interpretaram com dedicação e carinho, personagens das histórias "Como Apareceram os Bichos" e "Festa no Céu", adaptadas do livro de lendas indígenas "Como Nasceram as Estrelas", de Clarice Lispector, eu pude sentir que a leveza da vida também existe, mesmo em meio às pedras no caminho, que literalmente as rodas da minha cadeira encontram todos os dias!

Naqueles preciosos instantes, fechei os olhos e percorri céus, lagoas, florestas e tantos mundos imaginários e reais... Despertei a criança que dorme em meu peito. Preciso sempre dela para suportar os abismos de uma sociedade preconceituosa. Ouvir, sentir, refletir e principalmente, só VIVER sem receios, trouxe uma onda de renovação ao meu ser.

Gratidão a toda equipe de seres humanos sensíveis que tornou aquela tarde inesquecível!  

Gratidão ao Eduardo Biaso (@dudubiaso), Elissandro Aquino Karina Vilas Boas (@karina.vilas.boas), Katharina Hilgenberg, Lelo de Brito (@lelodebrito), Mhahly Araújo (@mhahly), Macla Quintero (@mariaf_243), Natan Boykazyzz (@natanpaivasa), Tamires Francisco (@miresfranc).

Depois da estreia na Livraria, a trupe realizou a contação de histórias dia 14 de outubro no Espaço Cultural e Social Águas Virtuosas, dia 21/10 na Associação Serrote e dia 28/10 na Vila Brasil. O Espaço Cultural e Social Águas Virtuosas foi idealizado e é mantido pela professora, mestre congadeira, líder comunitária e diretora administrativo-financeira do Vagão 98, Elaine Castro (@elainecastro940) e por seu companheiro e mestre Congadeiro Binho.

ENTREVISTA Como, eu @leandracaleidoscopica sou muito curiosa e tenho o bichinho das palavras percorrendo o meu corpo, não consegui ficar parada e ofereci uma entrevista com a direção da contação de histórias. Conversei com Elissandro Aquino (@elissandro_aquino), indicado ao Prêmio Shell de Teatro 2023.

O que motivou você e a trupe a escolher as histórias que foram contadas. Qual a importância delas no processo de formação de vocês… 

A escolha se deu numa reflexão sobre a nossa terra e, a partir daí, os povos originários. O processo começou com uma viagem interna sobre a nossa correlação com os povos e como a nossa educação se formou de modo horizontalizado, com a escuta interna e a leitura sobre a Natureza que somos nós.

Fale um pouco sobre como foi o processo de preparação para montar essa contação de histórias e os ensaios… O que foi mais prazeroso… E quais foram os desafios…

Além do resgate da história pessoal, assistimos a vários vídeos. Trocamos experiências e descobrimos mais um ao outro: temos uma antropóloga no grupo que desenvolveu projetos com os indígenas… O desafio maior foi o de adaptar a obra: trabalhamos duas lendas recontadas por Clarice Lispector do livro “Como nasceram as estrelas”. Outro desafio foi o de criar um projeto sem os estereótipos. Ou seja, falávamos dessa cultura sem caracterização, evidenciando a palavra e o corpo. A maior alegria foi o de presenciar crianças embarcando na história, adultos envolvidos e a trupe rindo nos aquecimentos.

Diga 3 ou 4 palavras ou frases que marcou e ou emocionou ao realizar a contação de histórias em locais diferentes da cidade de Lambari. 

Confiança, Respeito, Envolvimento

Como você avalia a importância da cultura em cidades como Lambari e outras de MG para a construção de um mundo recheado de intensidade e reflexão sobre a vida complexa dos seres humanos…   

Um trabalho como esse, propicia um espaço seguro e de acolhimento e de coragem e de enfrentamento.

Qual a importância do Centro Cultural Vagão 98 para o fomento da cultura em MG e o que você espera da parceria…

Vagão é um oásis. Um espaço equipado para linguagens.  

O Vagão 98 conta com a promoção da @radiotransmineral e do @hotelrezende_lambari e o apoio da @livraria_estacao_mercado. O projeto de manutenção é patrocínado por Inoxul (@inoxul) e Off Paper (@papeisoffpaper) através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Conheçam e compartilhem as redes sociais do Vagão:

E o importante projeto Espaço Cultural e Social Águas Virtuosas:

O Vagão 98 é uma das principais entidades de fomento à arte e à cultura no Sul de Minas. Aproveitem!!


 

 


198 visualizações1 comentário
bottom of page